BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

29 de dez de 2010

Retrô


Esse ano teve suas vírgulas. Tive momentos muito bons e outros nem tanto, mas os tive e isso que me interessa. Comecei o ano como sempre, odeio o verão.. Ainda mais quando ele distancia pessoas próximas da gente. Mas logo se iniciou o outono e com ele uma carga grande de trabalhos na faculdade, documentário a se realizar expectativas do novo semestre... Iniciei em uma assessoria de comunicação que me proporcionou aprendizado diferente e também convivências ínfimas com diversas situações.

Descobri que não sou tão forte assim, mesmo querendo segurar todos no colo, me deixei de lado e precisava de uma atenção especial.

Tive perdas nesse ano, mas que foram necessárias... Fortalecem-nos e é preciso abrir mao para um bem maior... Mas doeu e dói. Algo tão nosso se destrói e torna apenas fragmentos de lembranças. Deixa pra lá. Perdi-me em vários sentidos, mesmo sabendo que nunca me encontrei.

De fato iniciou o inverno, veio férias de julho e a campanha eleitoral 2010 que me consumiu totalmente, principalmente com a volta do próximo semestre letivo. Mas com uma compania agradável a gente inventa situações de conforto e a criatividade se expande...

Primavera! Tive minha festa de 21 anos que ficou do jeito que queria e que tinha pessoas que eu gostava realmente, graças a ajuda daqueles que sempre estão conosco. E é claro o teatro, minha paixão que cresce a cada dia... circulando em cada veia minha.

Mais uma vez tentei deturpar meus sentidos e ocultar meus sentimentos. Não era justo comigo e resolvi expor tudo que se via claramente com os olhos do coração.

Agradeço às pessoas que tenho ao meu redor, todas. Vivo por vocês. Nesse reino de princesas, bebes, pequenos príncipes, panelinhas, laços de família e arte. Reinvento todos os dias minha historia. E o final? Ah esse eu não quero saber... Que venha mais um capitulo!

Bem vindo 2011! Ao lado de todos vocês...

24 de dez de 2010

Feliz Natal!


9 de dez de 2010

Nosso Altar Particular



"... Jaz o nosso “de hoje em diante” e a historia passa a ser escrita “de cá para trás”, batemos a porta do amanhã na cara da felicidade, libertando da gaiola somente a araponga do passado, e em um vôo franco, apenas as recordações alcançarão nosso céu, somente lembranças transarão o nosso ardor

Um pouco morto...eu vivo. Por muito pouco... não levanto. Com tanto pranto... não tenho socorro. Sem o seu sopro... meu vento é o choro. De qualquer morro... desabo amargura. Na secura da saudade... atado me esqueço. De um grande amor...vencido despeço. Meu preço no agora...é uma nota rasgada. O afeto se lançou da escada...partiu nosso sonho ao meio..."

Caio Sóh

1 de dez de 2010

::: Quem vai queimar?


Encaixotem os livres
Desinfectem os cantos
Estuprem as mulheres
Brutalizem os homens
Despedacem os fracos
Enfeitem a moda
Sodomizem as crianças
Escravizem os velhos
Fabriquem as armas
Destruam as casas
Façam render a guerra
Escolham os heróis

E queimem as bruxas
Deixa queimar...
E queimem as bruxas
Quem vai queimar?

Empurrem conselhos
Forneçam as drogas
Engulam a comida
Disfarcem bem a culpa
Protejam a igreja
Perdoem os pecados
Condenem os feitiços
Decidam quem vai morrer
Contaminem a escola
Violentem os virgens
Aprisionem os livros
Escrevam a história

E queimem as bruxas
Deixa queimar...
E queimem as bruxas
Quem vai queimar?

Quem ordena a execução
Não acende a fogueira
(Pai, rogai por nós)
Quem ordena a execução
Não acende a fogueira
(Pai, rogai por nós)
Quem ordena a execução
Não acende a fogueira
(Pai, rogai por nós)
Quem ordena a execução
Não acende a fogueira
(Pai, rogai por nós)

E queimem as bruxas
Deixa queimar...


Pitty