BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

26 de dez de 2009

::: Camilla - Último Capitulo...


Camilla - Último Capítulo

Era curioso como o tempo, o senhor dos enlouquentes, se ajustava em cada sensação. Os tilintares das estrelas nobres brandiam o silencio das palavras emudecidas. Cada tilintar remetia a um episodio diferente e as lembranças embebidas pelas inverdades futurísticas assumiam o controle da situação, como um refugio clandestino. Em uma fração de segundos, emergiram todos os mais belos momentos vividos por Camilla e Yan. O som do tiro rasgando o ar paralisou a todos e recriou os conhecidos reinos de poder. Esses reinos emergiam ao mesmo tempo. O sentimento composto para cada toque, cada olhar e situação vivida. Tudo isso passou em um piscar de olhos, um filme em câmera lenta preencheu aquele segundo eterno. Imagens avulsas, que em conjunto traziam à tona a historia mais verdadeira conhecida por alguém. Fragmentos rodopiavam em suas memórias. O primeiro e profundo olhar, o primeiro toque dos lábios, as viagens, conversas intermináveis, a entrega total de um para com o outro.


Um dos assaltantes segurava Camilla, enquanto o outro prendia Yan. Os dois estavam armados. O assaltante que prendia Camilla começou a passar a mão nela, despindo-a parcialmente. Camilla tremia o corpo inteiro, já estava perdendo a consciência tamanho confronto consigo mesma. Yan se alterou completamente ao ver a cena e conseguiu esmurrar o criminoso que lhe segurava. Com os fortes golpes desesperados de Yan no assaltante, a arma do mesmo voou para perto de Camilla. O outro assaltante que estava com a garota soltou-a e correu para ajudar seu comparsa que estava meio aéreo, enquanto Camilla pegou a arma no chão sem saber o que fazer, agindo por puro instinto. Gritos, choros, desespero. O assaltante que ainda continuava armado largou seu parceiro e foi correndo deter Yan de se aproximar de Camilla. Apontou a arma para Yan e puxou o gatilho em meio à correria e gritos. Antes do disparo do assaltante contra Yan, Camilla por impulso atirou na confusão de corpos contra o assaltante. Um grito de dor e pavor ecoou pela rua. Camilla soltou a arma no chão e caiu de joelhos. Com o barulho, pessoas começaram a aparecer. Os assaltantes vendo a cena dispararam a correr. Camilla havia disparado e acertado o peito de Yan. Ela estava em choque profundo, mal conseguia respirar. Brotavam lagrimas inconscientes em seus olhos, seu peito ardia como fogo, como se o tiro a tivesse acertado. Ainda sem acreditar, foi engatinhando em prantos para próxima de Yan. Não conseguia falar, estava em outro mundo, aquilo não podia estar acontecendo com ela, não, não, justo agora. Segurou o rosto de Yan entre as mãos e gritou por socorro. Ouviu de longe alguém gritar que já haviam chamado o resgate. Uma multidão cercou o acidente, vizinhos que conheciam o rapaz estavam perplexos. Camilla entrara em comunicação consigo, não sentia seu corpo, nem escutava mais nada... Focava-se toda no rosto de seu amado companheiro. Yan lentamente abriu os olhos, com a respiração ofegante, sangrando muito. Admirou sua bela menina por alguns eternos segundos, cada fração de tempo agora possuía um sentido maior. Olhou profundamente no fundo dos seus olhos e esboçou um leve e sereno sorriso. Camilla encostou seu rosto junto do dele, gritando perdão inconscientemente. Ela fechou os olhos e tocou seus lábios ainda quentes. Em seus ouvidos surgiu a voz de Yan tocando sua musica favorita, a mesma que vira ele tocando no pubb rock pela primeira vez. Abraçou-o ternamente e olhou para ele. Ele não mais olhava pra ela. Tinha partido, mais continuava com o sorriso docemente esboçado. Camilla entrou em pânico e abraçou-o ainda mais forte, falando baixinho em seus ouvidos...

- Me perdoa, Me perdoa amor... Não me deixe aqui sozinha, não me deixe, por favor... Deixa-me ir no seu lugar, não posso conviver com essa culpa.. De conseguir matar minha própria vida. Não me deixa aqui sozinha... Yan... Yan...

Valentes os de corações meticulosos que conseguem burlar todas as barreiras humanas. A culpa é uma criança de colo que saiu de seu próprio ventre. Você não pode abandoná-la, ate ter meios para isso. A culpa é o pior peso, pois é um atributo próprio e torturante. Que a todo o momento lhe lasca um tapa na cara de verdades vacilantes. E o tapa sai de suas próprias mãos contra seu rosto. E mesmo assim é uma dor que não passa, é um martírio sufocante.

O resgate chegou e rapidamente levaram Yan para o hospital mais próximo. Camilla já sabia de seu errôneo destino, pois o mesmo saiu de suas próprias mãos. Preferiu não ir junto, sem saber aguardava a policia aparecer para a interrogação. Não tinha forças para continuar. Olhares sobressaltados emergiam de todos os lugares para a menina mulher. Sentia-se suja. Podre por dentro, oca. Como se junto com o tiro, tivesse ido sua alma. Após tanto compartilhamento e cumplicidade não conseguia mais ser, sem Yan consigo. A cada lembrança que surgia ressaltada pela culpa, Camilla desfalecia mais um pouco. Não conseguia imaginar sua vida sem Yan. Seus nervos haviam paralisado e disparou a rir de tudo aquilo no meio da rua. Que idiota, ela iria acordar a qualquer momento e ver que nada daquilo era verdade. Triste fim para uma sonhadora em meio à realidade. A verdade era crua, sangrava e doía. Camilla sentia-se tonta, mas não conseguia sentir seu corpo. Estava no mesmo lugar, suja de sangue, com a maquiagem escorrendo pelo rosto, sua meia toda rasgada e parecia-lhe internamente nua. Nunca se sentiu tão exposta e impotente. Queria fugir de tudo, de todos, queria encontrar logo com Yan. Porque ele demorava tanto para buscá-la? Levantou-se transtornada e saiu correndo. Algumas pessoas tentaram detê-la, mais visto seu sofrimento não tiveram muito que fazer. Camilla não sabia onde seu corpo a levava Foi andando sem rumo com a cabeça explodindo. Andou, durante horas, talvez meses, anos em sua cabeça. O tempo já havia se desconectado e nada mais fazia sentido ou ordem alguma. Ela estava sozinha, precisava encontrar Yan. Entrou rodoviária adentro e inconscientemente se dirigiu ao banheiro. Trancou a porta da cabine e sentou-se no chão sujo, nada mais importava. Foi quando lhe veio à tona com uma dor profunda. Você matou seu amor. Não! Não! Não podia ser. Não era justo. Qual o problema em cultivar um amor tão puro e espontâneo? Que culpa ela tinha de ter cativado e ser cativada todos os dias? Porque a felicidade seria tão incerta assim, cuspida no rosto? O amor assim como Camilla não possuía definições. Ele poderia ser entendido em todas suas formas. A morte não poderia ser uma limitação para ele. Justo ele tão seguro, tão forte e poderoso, capaz de transformar o mundo. O que é verdadeiro nunca morre se eterniza em nossos corações. O essencial é invisível aos olhos, Camilla não precisava ver Yan, apenas senti-lo. Sentada em um banheiro publico de rodoviária, com papeis borrados de maquiagem ao seu lado, encontrava-se Camilla. Seus 18 anos acabados de se completar traziam a tona uma mescla de sentidos e vontades. Lagrimas emergiam como uma forma de protesto a tudo aquilo. O mundo inaugurado por Camilla era algo nunca antes visto ou citado por alguém. Ela conseguira transparecer uma visão além do normal e percebia tudo como uma forma detalhada e complexa. O que ate ali supostamente não era possível existir, ela conseguia sentir e demonstrar. Porem ela nunca se designou como “especial”, ou melhor. Era simplesmente Camilla... Sua única definição.
Perguntam-me o que aconteceu com camilla, após tudo isso. Dizem que ela continua andando por ai, que já andou durante anos e anos. A verdade é que Camilla havia se conhecido pelo espelho transparente da alma sorrateira de Yan. Partiu sem rumos, com a presença oculta de Yan ao seu lado. Sentia-o e gargalhava com ele em cada detalhe. Ao certo ela continua por ai, andando e andando. Quem sabe um dia nos encontramos por ai...
Ah Camilla, Camilla...



FIM


Gustavo de Freitas Ferreira



..:gUh:..

23 de dez de 2009

::: Anjos Natalinos...



“ Todo ano, em véspera de natal, meu coração se enche de um sentimento novo. É a esperança de uma nova vida, repleta de realizações. Determinação nunca me faltou, nem coragem para seguir adiante. Às vezes pareço adiar meus sonhos, mas no fundo eles estão lá, se realizando a cada momento. Possuo muitos sonhos. Dizem que não podemos contá-los até que se realizem. Os meus posso contar, a maioria se realiza em cada sorriso verdadeiro que eu recebo de quem eu amo. Sou muito feliz por estar aqui e com quem cheguei. Agradeço muito aos céus por ter me proporcionado tamanha sensibilidade para enxergar as coisas do meu jeito. E se nesse exato momento, escrevendo essa simples declaração, meus olhos se entregam às lagrimas, agradeço mais ainda por conseguir sentir e expressar um pouco o que sinto. Sou eternamente grato, por conseguir enxergar com os olhos do coração.
Bom, entre os sonhos que eu sempre almejei, posso citar alguns que me completam. Consegui a proeza, que raras pessoas conseguem, de encontrar amigos puros e verdadeiros. Sou extremamente feliz por ter conhecido a amizade em si, um amor que não possui nenhuma limitação, somente cumplicidade. É um sentimento, que não visa troca nenhuma, apenas a felicidade e a companhia do outro. E digo com toda certeza do mundo, que eu conheci ela verdadeiramente em sua forma mais gloriosa, porque me deparei com seres incomuns e de um sentimento inigualável. Não conheci pessoas, conheci anjos. E esses anjos estão comigo sempre. Alguns desses anjos precisam trilhar seu próprio caminho, ir atrás de suas missões. Mas eles vão fisicamente, porque a maior certeza que eu tenho, é que eles estão talhados no nosso coração. Aconteça o que for, onde estiverem eu posso olhar para as estrelas e vê-los sorrindo para mim...
Consegui ter uma família tão bonita por dentro, que movem o mundo por minha causa. Minha base, meu caminho, minha vida.
Tenho que agradecer muito a um sonho realizado, de estar estudando aquilo que eu sempre quis e o melhor, ao lado de pessoas incomuns também. Sou cercado de anjos em todos os lugares, por isso me sinto tão seguro.
Sou imensuravelmente feliz também por ter um anjo especial na minha vida, que a cada dia, nos apoiamos um no outro para conseguir superar nossos medos. Esse anjo mudou totalmente minha vida, me completando e me levando a vôos nunca antes imaginados em seus braços. Por esse anjo, vou ate o fim.
Por fim, agradeço a mim. Sim a mim. Por conseguir um equilíbrio entre meus anseios e minhas vontades. Por nunca ter desistido de tudo aquilo que eu lutei. Por me manter presente a tudo isso.


E digo: Sempre que se sentirem sozinhos, todos que sentem meu amor verdadeiro, fechem os olhos e vejam que estou sempre com vocês. Simplesmente Amo-lhes! Obrigado por serem tão parte de mim...”



Feliz Natal!

..:gUh:..


4 de dez de 2009

::: Qual fim terá Camilla?...

... Qual fim terá Camilla?...

Não percam o último capítulo da microblogsérie!

Dia 25/12/09 às 00:00 horas
(Frew)


"O verdadeiro mistério do mundo é o visível, não o invisível."
( Oscar Wilde )

..:gUh:..


1 de dez de 2009

::: Metade adorada de Mim...







" Hoje eu queria dizer algo especial. Queria juntar todas as coisas boas existentes e transmiti-las a você. Tudo que há no mundo de melhor eu te desejo. É um querer tão bom, tão sensivel, profundo e verdadeiro. Lhe ver bem, me faz ficar bem também... Meu precioso. Te guardo nos meus mais secretos sentimentos. Quero estar presente em cada detalhe de sua vida. Vou estar sempre aqui viu? Porque eu? Ah... Eu Te Amo...."







Luz Dos Olhos
Cássia Eller

Composição: Nando Reis

Ponho os meus olhos em você

Se você está

Dona dos meus olhos é você

Avião no ar

Dia pra esses olhos sem te ver

É como o chão do mar

Liga o rádio a pilha à tv

Só pra você escutar

A nova música que eu fiz agora

Lá fora a rua vazia chora
Os meus olhos vidram ao te ver

São dois fãs, um par

Pus no olhos vidros pra poder

Melhor te enxergar

Luz nos olhos para anoitecer

É só você se afastar

Pinta os lábios para escrever

A tua boca em minha

Que a nossa música eu fiz agora

Lá fora a lua irradia a glória
E eu te chamo

Eu te peço vem

Diga que você me quer

Porque eu te quero também
Faço as pazes lembrando

Passo as tardes tentando

Te telefonar
Cartazes te procurando

Aeronaves seguem pousando

Sem você desembarcar

Pra eu te dar a mão nessa hora

Levar as malas pro Fusca lá fora
E eu vou guiando

Eu te espero vem

Siga aonde vão meus pés

Porque eu te sigo também
Eu te amo

Eu te peço vem

Diga que você me quer

Porque eu te

Quero também





Now I know that you're the
Agora eu sei que você é
Best thing in town -- Best thing around
A melhor coisa na cidade -- A melhor coisa ao redor
Best thing in town -- Best thing around

(Green Day - Best Thing In Town)

________________________________

Te Amo! Te Amo! Te Amo!

Felicidades Mil amor!

Beijoooooooooooo =*

..:gUh:..