BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

27 de nov de 2009

::: Camilla- Penúltimo Capitulo...

Camilla - Penúltimo Capítulo


O tempo transcorria apenas externamente. Para Camilla e Yan era como se tudo houvesse parado quando se conheceram. Aquela sensação de bem estar preenchia qualquer falta interna. Conjugavam-se agora todos os verbos na terceira pessoa. Quando perceberam, estavam inclusos um na vida do outro em cada mínimo detalhe. Às vezes discutiam por coisas banais, como todo casal, mas a reconciliação era quase que instantânea, e os aproximava mais ainda. Total entrega. Total cumplicidade. Corações ligados ao fluxo continuo de um sentimento. De certo era um sentimento engraçado.

Ele percorria todo o corpo rindo em altas gargalhadas, sagaz e leve. Transmitia uma sensação de segurança mesmo pairando em uma corda bamba. Gritos de felicidade, explosão de redenção alheia, coreografados por passos soltos e audaciosos.
Todos os dias eram inaugurados reinos de poder dentro de Camilla. Cada reino incidia em uma parte autônoma, comandava o império de seus sentidos e disseminava a arte de suas emoções. E esses reinos sempre se transformavam e davam lugares a outros mais fortes, íntimos e ousados. Reis e rainhas não possuíam limitações, eram livres. Desejo. Desejo. Desejo. Reais e completos. Vivos. Desejos vacilantes e extasiados. Vontade de querer mais, adentrar na alma. Vontade de ter a pessoa. Vontade e desejo aliados na essência de mover esse fluxo. Delírios, loucura, paixão. Vigorava-se nesse império uma dominação passiva, em que os detentores do poder supremo redimiam-se para com o outro. Não havia disputas de aquisições, apenas compartilhamento. Palavras se mesclavam a sensações indefinidas, na ânsia de tentar explicar o conjunto ali formado.
Os dias ressurgiam por simples definições de tempo. O anacronismo desconcertado transfigurava em um mundo novo. Particular. Tudo continuava na mesma, mas misteriosamente se surpreendiam a cada momento. Descobriam um pouco mais de si no espelho vigorante de egos do outro.
Camilla encontrava-se dispersa. Tentava se concentrar para estudar um pouco, mas sua vida estava tão turbulenta, que só conseguia pensar em Yan. Ligou para ele sem assunto, apenas para saber se estava tudo bem e escutar um pouco sua voz. Conversaram durante alguns minutos e marcaram de se ver mais a noite. Camilla estava ansiosa, pois o aniversario de seu namorado estava se aproximando. Queria algo especial, diferente. Há semanas planejava, queria surpreendê-lo. De certo já havia decidido e feito reservas para uma suíte de luxo no melhor motel da cidade. Guardara dinheiro para que tudo fosse inesquecível. Já havia passado um mês desde a viajem para a cidade histórica e só faltava mais um mês para a comemoração do aniversario. Decidiu se levantar e arrumar seu guarda-roupa. Após algumas horas, já extasiada, foi tomar banho e se arrumar para encontrar com Yan. Vestiu uma camiseta branca, com uma saia rodada preta balonê, com o cós acima da cintura. Estava com uma sapatilha, tiara e bolsa vermelhas. Yan já estava na sala esperando-a. Deu-lhe um beijo e desceram para o carro. Decidiram ir ao cinema assistir uma comedia romântica. No caminho conversavam:
- Amor, estava pensando em convidar uns amigos meus para irem lá em casa semana que vem, o que você acha? – Disse Yan.
- Por mim, tudo bem... Sexta não tenho aula, se quiser te ajudo a prepara alguma coisa.
- Vou marcar com eles então - disse Yan, sorrindo levemente para Camilla.
Conversavam animadamente, planejando o encontro na semana seguinte. Chegaram ao cinema um pouco atrasados, e foram direto a seção. Não prestaram muita atenção ao filme, porque havia outros “atrativos” no cinema. Após o filme foram comer pizza e logo voltaram para casa. Camilla dormiu na casa de Yan e no dia seguinte ainda pela manha, ele a levou para casa. Semanas se passaram. O encontro com os amigos de Yan havia sido ótimo, tocaram musica e beberam a noite toda e tudo transcorria normalmente.
(Hoje)
Sete meses haviam se passado. Seis meses de namoro e hoje era o dia tão esperado do aniversario de Yan. Tudo minuciosamente planejado por Camilla. Não contara nada a seu namorado, só pedira para não marcar nada à noite porque tinha um presente especial para ele. Yan passaria para pega-la às 22:00 horas. Camilla se preparara o dia todo, estava impecável, mais do que nunca. Formava uma onda secreta de luz ao redor de seu corpo. Para a ocasião havia comprado um conjunto de lingerie completo. Estava de meia cinta-liga preta, corpete e parte de baixo também pretas com strass. Calçava um scarpam preto e carregara na maquiagem. Por cima do conjunto estava com um micro vestido colado preto, “tomara que caia”, com a meia e a perneira à mostra. Usava seu perfume estimulante. Quando Yan chegou e viu Camilla descendo às escadarias do prédio ficou paralisado, perdera ate o fôlego por alguns instantes. Os traços delicados e surreais de Camilla entravam em contraste com o estilo fatal que usava. Entrou rapidamente no carro e já foi beijando Yan fortemente. Após alguns instantes ele a olhou incrédulo e suspirou. Estava louco de felicidade e desejo. Ainda admirando-a, disse:
- Você, você... Está perfeita - As palavras se misturavam na sua boca.
- Calma amor, ainda não viu nada... – disse Camilla.
Foi complicado Yan se concentrar no transito para chegar ao local que Camilla lhe indicava. Passado minutos na estrada, Camilla pediu para Yan parar o carro. Olhou em seus olhos e disse astutamente:
- Parabéns amor! Espero que goste da surpresa...
Yan olhou para o lado e não pode acreditar. Encontrava-se ao lado do motel mais requisitado e luxuoso da cidade. Sem palavras e ainda sem acreditar no que estava acontecendo, foi entrando direto no motel e dirigindo-se para a melhor suíte que havia sido reservada para a noite. Entrou na garagem e desceu do carro. Camilla já havia subido rapidamente para o quarto e esperava Yan com taças de Champagne e musica ambiente. A noite foi simplesmente a melhor de toda a sua vida. Estava com a pessoa mais incrível que conhecera, que desde o começo se apaixonara e não conseguia explicar a felicidade que estava sentindo. Cada beijo, cada toque, cada olhar tudo muito carregado de sentidos, expressões verdadeira de querer bem. Yan se sentia a pessoa mais feliz do mundo. Sentia-se completo, absoluto. Tivera a oportunidade tão rara de conhecer o amor puro e verdadeiro, que poucas pessoas chegam a conhecer. A maioria simplesmente só pensa que o conhece, mas nem de longe foram apresentados. Seu peito ate doía quando tentava imaginar e definir esse sentimento. Estava feliz... tão feliz. Após a empolgante e romântica noite, estavam deitados olhando um para o outro quando Yan disse:
- Nenhuma palavra conseguiria agradecer por ter você na minha vida. Obrigado por tudo amor. Sinto o que você sente e isso me faz tão bem. Às vezes posso não me expressar devidamente, mas pode ter certeza que te quero pra mim por todo o sempre... Promete que nunca vai me deixar? Eu estarei sempre com você.
- Você nunca vai estar sozinho, deste momento em diante - disse Camilla.
Os dois se beijaram como se fosse à primeira vez. Adormeceram um pouco. Camilla acordara depois de algum tempo, não passando muito bem. O tempo estava parado e abafado, e ela estava aflita. Resolveram tomar um banho juntos ir embora. No carro Camilla se sentia zonza, com calafrios e arrepiando. Pediu Yan para chegarem logo em casa, ela iria dormir na casa dele.
Apesar da noite perfeita, havia um clima pesado no ar. Nenhum dos dois conseguiu dizer nada. Finalmente estavam próximos da casa de Yan. Pararam o carro no portão da garagem e antes que pudessem abri-lo ou ter qualquer reação foram sobressaltados. Dois homens encapuzados e armados com revolver, chegaram violentamente e renderam os dois. Camilla assustada deu um grito de pavor que logo foi sufocado por um dos bandidos. Yan tremia muito e desceu do carro com a arma apontada para a cabeça. Gritava tremulo para levarem tudo, mas que não machucassem sua namorada. Camilla estava presa com o outro assaltante, que lhe segurava por trás e estava também com uma arma em sua cabeça. Olhava desesperada para Yan, quase desfalecendo de tensão e não conseguia se controlar, chorava muito. Um dos assaltantes, o que estava com a garota, ria compulsivamente e exclamava o tanto que ela estava lhe chamando atenção. Foi quando se aproveitou da situação e passou a mão nas pernas de Camilla que se assustou e tentou fugir. Yan não conseguiu se controlar e deu um soco no assaltante que lhe prendia fazendo sua arma voar. Foi tudo muito rápido. Camilla conseguira pegar a arma no chão rapidamente. O assaltante que prendia a garota correu ainda armado para ajudar seu comparsa. Correria. Gritos. Medo. Pavor. Um alvoroço se iniciara na rua. Na correria só pode ser escutado por ultimo, um grito profundo de dor e o som de um tiro disparado contra a noite.
(Continua...)
_________________________________
Desculpas sinceras pela demora amigos....
Final de ano, totalmente sem tempo...
Vlw!
Abração a todos....
Carpe Diem =]
..:gUh:..


3 de nov de 2009

::: Canção de Ninar...



Se essa rua
Se essa rua fosse minha
Eu mandava
Eu mandava ladrilhar
Com pedrinhas
Com pedrinhas de brilhante
Só pra ver
Só pra ver meu bem passar

Nessa rua
Nessa rua tem um bosque
Que se chama
Que se chama solidão
Dentro dele
Dentro dele mora um anjo
Que roubou
Que roubou meu coração

Se eu roubei
Se eu roubei teu coração
Tu roubaste
Tu roubaste o meu também
Se eu roubei
Se eu roubei teu coração
Foi porque
Só porque te quero bem...